Crônica da Cidade

Crônica da Cidade

Recado para o silêncio

Estava eu a assistir a um filme sobre o apóstolo Paulo. Na cena, ele conversava com Lucas, que cumpria uma de suas missões cristãs, fundamental para construção dos pilares onde hoje se assentam os postulados da Igreja. Lucas ouvia os ensinamentos de Paulo, que estava no cárcere, por ter sido condenado à morte por Nero, culpado de traição ao império romano, e Lucas, na penumbra da cela, transcrevia palavras de Paulo e as levava para a comunidade, que as multiplicava em cópias manuscritas e as enviava, como orientação sobre os ensinamento de Cristo, para as cidades distantes, ou ...

leia mais +

Olho pro céu, meu amor

Recebo a visita de um amigo e de uma velha conhecida. Queriam conversar. Tanto que queriam conversar que vieram desprovidos dos celulares. Disseram-me, com a ênfase, que merecia tal fato, isso para os dias de hoje, que haviam deixado propositalmente os aparelhinhos em casa. Que bom, suspirei levemente. Encontraram-me na porta. Fato incomum, estava olhando o tempo e perscrutando o céu. Já era inicio da noite. Nesses momentos, não costumo ter a companhia do moderno e incômodo interlocutor. Gosto de ver o tempo. Que passa, roçando-nos como a brisa que vem do mar. E tenho essa mania besta ...

leia mais +

Elias do Boi

Texto de Edmilson Sanches,

reproduzido, em parte,

 nesta coluna.

ELIAS DO BOI, ARTISTA E INSPIRAÇÃO

Há dois anos

O boi do Elias chegou. Agora, sim, tem festa no céu...

 

Toda cidade tem seu encanto, e muito desse encanto deve-se a personagens – não necessariamente personalidades -- singulares. São pessoas com alguns graus de liberdade a mais, de despojamento a mais e, alguns diriam, de loucura a mais. Na minha cidade natal, Caxias (MA), eu ainda criança e adolescente, convivi ...

leia mais +

Art. 142, CF – a lei e a ordem

Manifestantes têm desfilado por nossas mais democráticas avenidas, ostentando cartazes em que demandam o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal. Nessa tresloucada ânsia intervencionista, pescaram da Constituição Federal um artigo que lá se encontrava dormitando desde a sua promulgação, o art. 142, quando se deu o sepultamento definitivo do regime ditatorial civil-militar. Tudo isso contraria as grandes lutas pela restauração da democracia brasileira e o teor da mensagem – A Constituição Coragem – do deputado Ulysses Guimarães, que presidiu a Assembleia Constituinte, na qual esse grande brasileiro denomina a Carta da República de Constituição Coragem, ...

leia mais +

Viver é tomar partido

Estava lendo uma crônica da excelente Fernanda Torres, atriz, roteirista e escritora (cronista), sempre engajada nas lutas pela cidadania, publicada na Folha de São Paulo, na qual estabelecia uma espécie de interlocução com a também cronista, e das boas, Tati Bernardi. Não vou dizer que Fernanda é filha de Fernanda Montenegro, um dos monstros sagrados da dramaturgia brasileira e universal, tendo o talento da mãe atravessado as fronteiras com o filme Central do Brasil, e do grande ator Fernando Torres, que tive oportunidade de vê-los em belíssima apresentação no Teatro Maison de France, no Rio, totalmente lotado, na ...

leia mais +

Ode ao Morro do Chapéu

Lembra o meu avô.
Jeitão de austeridade, sábio.
Cheiinho de amor.

Assim era.

Ora por ele se passa. Ora ele teima passar por nós.
Anos... e anos a fio. Uma eternidade passageira!
(Passageiros da eternidade... Todos nós somos.)
Nele, a verdade interior está oculta. O que diz?

Espia-nos. Nos observa, à distância e tão perto.
O sol aquece, ao amanhecer. Amarelecido, em ouro puro.
Parece o altar ecológico de uma igreja medieval.
No cair das sombras, resplandece numa claridade de um luar
imensamente ...

leia mais +

Filmes necessários

Sempre fui um cinéfilo. Um curtidor da velha e sempre renovada arte cênica. Dois cinemas, em São Luís, no espaço entre a infância e adolescência, me marcaram muito: o Rialto, na rua do Passeio, e o Éden, na rua Grande. O Rialto, muito mais na infância, época em que a leitura era o gibi – as tão apreciadas revistas em quadrinhos: Zorro e Tonto, Cavaleiro Negro, Fantasma, Roy Rogers, Mandrake, com o seu inseparável companheiro Lothar, Tarzan e ...

leia mais +

Ainda existem juízes no Brasil?

É um tanto conhecida a história do moleiro de Sans-Souci, que foi escrita, em forma de poema, por François Andrieux, advogado, poeta e dramaturgo, que nasceu em Estrasburgo, em 1759, e morreu em Paris, em 1833. Portanto, no século XVIII, no período precedente e em todo o curso da Revolução Francesa. Em resumo, a narrativa se atém a um acontecimento ocorrido no século XVIII, na Prússia do rei Frederico II, que era conhecido como “o Grande”, o qual estava interessado em fazer uso de um terreno para expandir o seu palácio. Ele era o rei, além de tudo, ...

leia mais +