5 de junho: Dia Mundial do Meio Ambiente. O momento é de ação!

A proteção e o melhoramento do meio ambiente humano é uma questão fundamental que afeta o bem-estar dos povos e o desenvolvimento econômico do mundo inteiro, um desejo urgente dos povos de todo o mundo e um dever de todos os governos.” (Declaração de Estocolmo sobre o ambiente humano - 1972)

O Planeta chega ao Dia Mundial do Meio Ambiente em momento crítico. É preciso agir e agir agora, para minimizar os impactos da sociedade de hoje  sobre as futuras gerações.

Num momento em que a Natureza se apresenta especialmente inquieta, com manifestações causadas ou não pelo Homem – mas que cobram um preço alto em vidas –, tais como furacões de grandes intensidades, enchentes devastadoras, deslizamentos letais, invernos glaciais, chegamos ao Dia Mundial do Meio Ambiente chamando não somente à reflexão, mas, principalmente, à ação de todos em defesa da vida.

Em 1972, durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, em Estocolmo, a Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu o Dia Mundial do Meio Ambiente, que passou a ser comemorado todo dia 05 de junho. Essa data, que foi escolhida para coincidir com a data de realização dessa conferência, tem como objetivo principal chamar a atenção de todas as esferas da população para os problemas ambientais e para a importância da preservação dos recursos naturais, que até então eram considerados, por muitos, inesgotáveis.

Nessa Conferência, que ficou conhecida como Conferência de Estocolmo, iniciou-se uma mudança no modo de ver e tratar as questões ambientais ao redor do mundo, além de serem estabelecidos princípios para orientar a política ambiental em todo o planeta. Apesar do grande avanço que a Conferência representou, não podemos afirmar, no entanto, que todos os problemas foram resolvidos a partir daí.

Atualmente existe uma grande preocupação em torno do meio ambiente e dos impactos negativos da ação do homem sobre ele. A destruição constante de habitat e a poluição de grandes áreas, por exemplo, são alguns dos pontos que exercem maior influência na sobrevivência de diversas espécies.

Tendo em vista o acentuado crescimento dos problemas ambientais, muitos pontos merecem ser revistos tanto pelos governantes quanto pela sociedade para que os impactos sejam diminuídos. Se nada for feito, o consumo exagerado dos recursos naturais e a perda constante de biodiversidade poderão alterar consideravelmente o modo como vivemos atualmente, comprometendo, inclusive, a nossa sobrevivência.

Dentre os principais problemas que afetam o meio ambiente na atualidade, podemos destacar o manejo e o descarte inadequado de lixo, a falta de coleta seletiva e de projetos de reciclagem, consumo exagerado de recursos naturais, desmatamento, inserção de espécies exóticas, uso de combustíveis fósseis, desperdício de água e esgotamento do solo. Esses problemas e outros poderiam ser evitados se os governantes e a população se conscientizassem da importância do uso correto e moderado dos nossos recursos naturais.

Cito, a título de exemplo, a atual crise de saúde pública provocada pelo manejo inadequado do lixo e da água, cujas consequências resultaram na proliferação de endemias provocadas pelo avanço dos focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika, cujos reflexos são incalculáveis a sociedade e ao Estado. Tal fato resultou, inclusive, na possibilidade de boicote das “Olimpíadas do Rio – 2016” por parte de alguns países, que não ocorreu graças a intervenção da Organização Mundial da Saúde (OMS).  

Em razão da importância da conscientização e da dimensão do impacto gerado pelo homem, o Dia Mundial do Meio Ambiente é uma data que merece bastante destaque no calendário mundial. Entretanto, não basta apenas plantar uma árvore ou separar o lixo nesse dia, é necessário que sejam feitas campanhas de grande impacto – sempre com a participação da sociedade e do Estado –, que mostrem a necessidade de mudanças imediatas nos nossos hábitos de vida diários.

Apesar de muitos acreditarem que a mudança deve acontecer em escala mundial e que apenas uma pessoa não consegue mudar o mundo, é fundamental que cada um faça a sua parte e que toda a sociedade reivindique o cumprimento das leis ambientais.

Devemos assumir uma postura de responsabilidade ambiental, pois só assim conseguiremos mudar o quadro atual.  Todos temos como contribuir – direta ou indiretamente – para que as sociedades caminhem rumo à sustentabilidade e para que a harmonia entre o desenvolvimento socioeconômico e a conservação da natureza deixe de ser mera utopia.

Por fim, deixo à meditação do leitor, as palavras de expoentes da Humanidade que retratam a preocupação que o homem, a sociedade e o Estado devem ter com Meio Ambiente.

“É triste pensar que a natureza fala e que o gênero humano não a ouve”. (Victor Hugo).

“Ambiente limpo não é o que mais se limpa e sim o que menos se suja”.  (Chico Xavier).

“Cada dia a natureza produz o suficiente para nossa carência. Se cada um tomasse o que lhe fosse necessário, não havia pobreza no mundo e ninguém morreria de fome”. (Mahatma Gandhi).

E tudo isto tem que ser feito agora. A Natureza já nos envia seus sinais de alerta. A Natureza não pode esperar! Pense nisso!

P. S.: No momento em que completei o 100º artigo no último dia 5, nada mais merecido, portanto, do que agradecer às pessoas a quem reconheço o mérito dessa conquista, a começar pelo Dr. Sergio Antonio Nahuz Godinho, o Dr. Sergio Henrique Oliveira Godinho – Diretores do Jornal O PROGRESSO, e em especial, ao incansável Coriolano Filho – Editor Responsável, pelo profissionalismo à frente desse importante meio de comunicação de nossa região.